Ser professor homem no século 21

Ser professor homem no século 21

Ser professor, é uma profissão como tantas outras.

Quanto ser professor em séries iniciais, posso afirmar com veemência que um homem é capaz de alfabetizar e ensinar da mesma forma que uma mulher.

Muitos pais, se preocupam com professores homens em sala. Entretanto, vamos refletir?

A presença do professor neste segmento está de acordo com as inovações constituídas na legislação da infância, no que diz respeito à educação básica, com a abertura de concursos públicos legitimando a presença de profissionais qualificados sem distinção de gênero na Educação Infantil.

Segundo Finco (2003 p.56) “não é só por que há mulheres que a profissão é feminina”. A prática educativa durante a infância designada ao sexo feminino vem de uma construção sociocultural, de que só as mulheres possuem habilidades para cuidar de crianças, devido a ideia de que “nasce com esse dom”.

Entretanto, como afirma Williams (1995), “quando o homem entra em profissões predominantemente de mulheres, apesar das representações que sobre ele recaem, ele não abandona sua masculinidade, nem perde seu interesse em sustentar os privilégios masculinos na sociedade (ao contrário, aproveita as vantagens de ser do sexo dominante)”.

Pensem e reflitam! Se vivemos num país democrático, onde todos lutam por igualdade de direitos, em que momento os professores do sexo masculino devem ser discriminados?

DIREITO É DIREITO!

  

Professor Itallo Roberto França de Souza.

Pedagogo

Colégio Floresta Azul.