Nossa língua... erros e acertos

É muito comum as pessoas apresentarem dúvidas sobre a nossa bela Língua Portuguesa, não é verdade? Estudamos nossa língua pátria durante toda a nossa vida escolar e, ainda assim, ouvimos as pessoas dizendo: “Não sei NADA sobre Português!” ou “Sou péssimo(a) em Língua Portuguesa!”. Como isso pode ocorrer? A resposta é muito simples: as pessoas pensam que não sabem, mas sabem sim! E muito! Talvez o que falte é apenas o domínio das normas gramaticais. 
Para isso, criamos este espaço com algumas dicas sobre as dúvidas mais frequentes entre os falantes. Certamente você poderá se identificar em algum deles. Aprender nunca é demais, certo? Então vamos lá:
1ª dica: Para MIM fazer ou para EU fazer?
Bom, para acabar de vez com a dúvida, basta pensar que mim é um pronome pessoal oblíquo, portanto, não pode exercer função de sujeito em uma oração. O mim não faz nada, certo? Lembrando ainda que os pronomes que “conjugam” os verbos são os pessoais retos (eu, tu, ele, nós, vós, eles). Outra forma correta seria passar a oração para o presente do subjuntivo:  "para que eu faça”.
2ª dica: MENOS ou MENOS?
Essa é fácil, até porque a forma menas simplesmente não existe.
3ª dica: SÃO uma hora da tarde ou É uma hora da tarde?
O verbo ser deve concordar com as horas, portanto, “é uma hora da tarde”, “são duas horas da tarde” e assim por diante. Lembre-se de que “são doze horas”, mas se for substituir o “doze horas” por “meio-dia”, então será “é meio-dia”.
4ª dica: meio dia e MEIO ou meio dia e MEIA?
Meio dia e MEIA é o correto. Afinal, a palavra MEIA está se referindo à meia hora, metade da hora. Se falamos: uma e MEIA (uma hora mais meia hora), duas e MEIA (duas horas mais meia hora), para o meio dia, deve-se usar meio dia e MEIA. (meio dia mais meia hora).
5ª dica: SEJE ou SEJA?
Essa também é fácil, até porque não existe a forma seje, tampouco esteje. No presente do subjuntivo, os verbos ser e estar são seja e esteja.
Bom pessoal, aguardem mais dicas... 
Até a próxima publicação!
Profa. Marisa